António Costa marcou presença na 5ª edição da Contextile

O Primeiro-Ministro (PM) português identificou o setor têxtil, agroalimentar e do calçado como motores da industrialização.

Primeiro Ministro António Costa na Contextile

Na passada quarta-feira, dia 9, o primeiro-ministro António Costa marcou presença na 5.ª Bienal de Arte Têxtil Contemporânea, a Contextil 2020. A visita foi acompanhada por Domingos Bragança, Presidente da Câmara Municipal, Pedro Siza Vieira, Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, e o Executivo Municipal.

António Costa definiu “reindustrialização” como “fazer indústria em novos setores”, mas explicou que essa reindustrialização não é possível sem olhar à “indústria que Portugal já tem”. O PM adiantou ainda que “o calçado, o têxtil e o alimentar são indústrias fundamentais e com as quais contamos para o futuro. Vão ter de ser os motores da recuperação económica do país”.

A visita começou no Instituto de Design de Guimarães com a exposição “Emergências: Educação e Criação Têxtil”. A seguir, seguiu com um percurso a pé pela Zona de Couros, onde teve oportunidade de conhecer o Bairro C, um projeto de reinterpretação da região. Depois, António Costa visitou a exposição internacional a decorrer no Palácio Vila Flor.

A Contextil decorre até dia 25 de outubro e acolhe artistas nacionais e internacionais com espaços culturais e áreas públicas da cidade vimaranense.