Arquivo Municipal recebe exposição sobre indústria têxtil de Guimarães

A evolução da indústria têxtil de Guimarães ganhou forma na exposição «Indústria Têxtil de Guimarães: do sistema antigo ao advento das máquinas» que se encontra a decorrer no Arquivo Municipal Alfredo Pimenta até ao final do ano.

A sessão de apresentação do evento contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Domingos Bragança, e da Vereadora da Cultura, Adelina Pinto e promete orgulhar todas as empresas têxteis e pessoas ligadas à indústria têxtil da região.

“Esta exposição é o reconhecimento de uma importante página da História que caracteriza Guimarães e a homenagem a milhares de pessoas anónimas que, com o seu trabalho árduo, abriram caminho para que outros chegassem mais longe e todo o território prosperasse”, assim descreve Paula Ramos Nogueira, comissária científica e autora da tese que deu origem a esta exposição.

A exposição “Indústria Têxtil de Guimarães: do sistema antigo ao advento das máquinas” tem como ponto de partida a coleção documental da Fábrica do Castanheiro (1885-2013) e desenvolve uma leitura em torno dos principais acontecimentos, personalidades e fábricas têxteis que estiveram no centro de um movimento industrial transformador do’ século XIX (Fábrica dos Castanheiro, Fábrica do Moinho do Buraco, Companhia de Fiação e Tecidos de Guimarães).

Documentos, objetos e imagens compõem a narrativa de uma industrialização que despertou coma mecanização e a eletrificação, definindo, para sempre, o perfil industrial de Guimarães.

Domingos Bragança realçou a importância dos museus em “dar a conhecer e tornar visível as memórias do nosso passado” realçando a importância de Guimarães como “a primeira cidade do país a integrar a revolução industrial”. O Presidente da Câmara vincou a existência de acervo nesta área, através das empresas, famílias e até instituições culturais, considerando a possibilidade de criar um espaço museológico para preservar as memórias do passado.