Concelho de Guimarães foi o que mais investiu na área da cultura e do desporto

A Câmara Municipal de Guimarães foi a que mais investiu no domínio da cultura e do desporto, entre os 308 municípios portugueses, sendo que as verbas utilizadas para a realização de atividades culturais e desportivas superaram os seis milhões de euros.

Os números avançados pela PORDATA, Base de Dados de Portugal Contemporâneo, dão conta de uma subida galopante do investimento em atividades culturais pela Câmara Municipal de Guimarães, entre 2013 e 2017. A autarquia da “cidade-berço” investiu 6 milhões 28 mil e 400 euros em atividades nas áreas do património cultural, bibliotecas e arquivos, livros e publicações, artes e espetáculos, atividades interdisciplinares, atividades desportivas ou outras.

Em 2013, o investimento da autarquia vimaranense naquelas áreas tinha ficado abaixo dos 200 mil euros, mas a subida atirou o Município vimaranense para a liderança nacional. Entre os municípios minhotos, também Ponte de Lima se destaca no plano nacional. Foi o quinto município que mais despesas de capital afetou à cultura e ao desporto. As duas áreas tiveram 3 milhões 807 mil euros dos cofres municipais, montante que traduz um crescimento de quase 300 por cento face ao ano de 2013, em que as duas áreas tiveram um milhão 305 mil e 600 euros.

O documento da responsabilidade da Fundação Francisco Manuel dos Santos faz saber que a Câmara Municipal de Lisboa ocupa a segunda posição, com um investimento próximo dos 5 milhões 631 mil euros em atividades culturais e desportivas. Os Municípios da Maia e de Matosinhos ocuparam, respetivamente, o terceiro e o quarto lugar entre os 308 municípios do país.

A Maia investiu na cultura e no desporto 4 milhões 884 mil e 300 euros e a Câmara Municipal de Matosinhos investiu 4 milhões 837 mil e 100 euros.

Na região do Minho, as 24 câmaras municipais dos distritos de Braga e de Viana do Castelo realizaram um investimento global de 19 milhões 726 mil e 100 euros em atividades culturais e desportivas. Por sub-regiões, o Ave teve o maior investimento (8 milhões 218 mil e 500 euros), seguido do Alto Minho, com um investimento conjunto de 6 milhões 782 mil e 500 euros. O Cávado canalizou para a cultura e desporto 4 milhões 542 mil e 200 euros.