GUIMARÃES – TERRITÓRIO DE OPORTUNIDADES

A estratégia Guimarães Smart City prevê uma cidade aberta aos cidadãos, às empresas, à ciência, à inovação e ao futuro e tem enquadrado diferentes vertentes. A adesão, acolhimento, participação tanto das empresas e academia, como dos cidadãos e suas associações são disso manifestação.

A iniciativa DREAM Smart Cities for all é uma linha de desenvolvimento aberta, inovadora, colaborativa, participada e para todos. Em outubro, com a participação de um conjunto de cidades europeias parceiras de Guimarães, a iniciativa foi apresentada em Bruxelas, junto da União Europeia. A participação da Comissão Europeia foi mais uma manifestação do alinhamento de Guimarães com as agendas europeias da sustentabilidade, da inovação e das respostas urbanas aos desafios globais.

O SMARTATHON’18 é um desafio de cocriação com o objetivo de promover a geração de ideias e soluções face aos temas prioritários de uma Smart City, tais como clima, energia, dados, habitação, espaço urbano, água, resíduos, mobilidade, trabalho, pessoas e comunidades. O SMARTATHON’18 foi lançado no passado dia 9 de janeiro, em Guimarães. Este evento contou com a participação de meia centena de pessoas. Entre as entidades presentes destacam-se a EFACEC, o INESC TEC Porto, Altice e a Universidade do Minho. As intervenções foram lideradas pelo Município de Guimarães e pela IrRADIARE, com abordagens ao tema das cidades inteligentes por parte da Universidade do Minho, do Centro de Computação Gráfica, da R&D Nester e do LabSecIoT. Com esta primeira edição do SMARTATHON’18, foi possível o debate e a integração de ideias e soluções que se enquadram numa estratégia aberta de Smart City. Estão previstas, no decorrer de 2018, três sessões do SMARTATHON’18, em abril, junho e outubro. A cooperação com empresas inovadoras, numa ótica de promoção da cidade, do emprego e da sustentabilidade é uma dimensão intrínseca de uma visão de cidade inteligente.

É também no quadro das respostas urbanas inteligentes aos desafios do futuro que se destaca a “Guimarães Marca”. Foi neste contexto que Guimarães acolheu, nos dias 6 e 7 de dezembro de 2017, o evento do projeto WEAR Sustain, Horizonte 2020, Smart Textile, para apresentação de oportunidades de financiamento para projetos inovadores. Neste evento, desenvolvido em cooperação com as Universidades de Berlim e Londres, e com a participação da Universidade do Minho, foram debatidas e testadas tecnologias “smart textile” para aplicações experimentais em empresas do Cluster “Guimarães Marca”.

A Guimarães Marca é promovida pela Divisão de Desenvolvimento Económico que, em cooperação com as empresas estabelecidas no município, pretende promover o património cultural e económico do município. São objetivos desta iniciativa potenciar o turismo cultural e industrial do território de Guimarães, promover o tecido económico do concelho vimaranense a nível nacional e internacional, reforçar e promover a atratividade do concelho, intensificar a captação de novos investimento e estimular o epreendedorismo empresarial. Guimarães tem vindo a ser cada vez mais conhecido e reconhecido, a nível nacional e internacional, como testemunha o evento WEAR, como um município industrial com a sua principal marca sustentada em grandes empresas têxteis, estando concentradas 80% das empresas que atuam neste setor em Guimarães.

O projeto H2020 WEAR Sustain procura equipas de artistas e designers, bem como outros profissionais criativos, que trabalhem em conjunto com profissionais da área da engenharia e tecnologia para desenhar e desenvolver soluções de têxteis inteligentes e sustentáveis que combinem estética, ética e responsabilidade social com a tecnologia. O projeto visa reunir artistas, designers e profissionais da indústria têxtil com engenheiros e programadores que, em parceria, enfrentam esse desafio de co-inovação e desenvolvimento da próxima geração de vestuário e têxteis inteligentes. O cluster “Guimarães Marca” ofereceu o espaço perfeito para o sucesso dessa cooperação. Durante o lançamento, foram apresentados os requisitos necessários e debatidas possíveis ideias a submeter em propostas de candidatura, promovendo assim o tecido empresarial do município.

Guimarães é uma cidade atrativa do ponto de vista turístico, económico, da inovação e investigação e, como resultado, destacam-se as iniciativas que a cidade tem dinamizado no quadro da sua visão de Guimarães Smart City enquanto município agregador de sinergias de inovação entre a cidade, as empresas, a academia e os cidadãos. Guimarães criou recentemente a Divisão de Desenvolvimento de Sistemas Inteligentes. Esta Divisão acompanha a estratégia de Guimarães Smart City apoiando e promovendo o desenvolvimento de iniciativas no domínio da inovação, cidades e sistemas inteligentes. Entre outros desígnios destacam-se como objetivos desta Divisão os de gestão integrada de informação em tempo real, identificação de projetos e serviços com potencial de inovação, a criação e a dinamização de projetos e projetos-piloto de inovação, cidades inteligentes e inteligência artificial, a criação de laboratórios piloto e de prototipagem (Living-lab’s e FabLab’s), com um objetivo transversal de sensibilização no domínio dos novos paradigmas económicos e seus impactos sociais.