I9IN Guimarães Marca: impulsionar a transição digital das empresas

Iniciaram na semana passada as atividades o âmbito do projeto I9IN Gumarães Marca, uma iniciativa que visa monitorizar projetos já implementados e promover estratégias inovadoras para a transição digital das empresas vimaranenses em áreas como a indústria 4.0, robotização, internet das coisas e sensorização.

Coorganizada pelo Município de Guimarães, através das Divisões de Desenvolvimento Económico e Sistemas Inteligentes e de Informação e a Tecminho, uma das mais antigas estruturas universitárias de transferência de conhecimento em Portugal. A iniciativa contou já com as primeiras reuniões de trabalho com a empresa António Salgado, que desde a sua fundação se tornou numa referência na área da comercialização de produtos têxteis para o lar, e a empresa Villafelpos, que, com a mais recente tecnologia disponível no mercado e uma capacidade produtiva de aproximadamente 110 toneladas/mês, se dedica à produção e comercialização de atoalhados para casa, praia e criança.

Villafelpos

A este roteiro juntaram-se as empresas Lameirinho e Solinhas. A primeira que, desde a sua fundação produz para as mais reputadas marcas internacionais a partir das suas instalações com aproximadamente 200.000 m2 e uma capacidade produtiva de cerca de 5 milhões de peças anuais, garantindo todo o processo, desde a tecelagem à expedição do produto. A empresa Solinhas dedica-se à produção e comercialização de linhas de coser, bordar e acolchoar e tem vindo a desenvolver produtos inovadores para a roupa de trabalho e de proteção, bem como para a indústria do calçado.

Lameirinho

 

Solinhas

Esta é uma atividade que assenta no modelo de inovação da hélice tripla, promovendo um conjunto de interações entre academia, indústria e a Câmara Municipal para promover o desenvolvimento económico de forma a colmatar as necessidades das empresas Guimarães Marca.