Webinar esclareceu dúvidas a Startups e microempresas sobre medidas de apoio

Na passada quinta-feira, dia 7, decorreu o webinar para responder às questões das Startups e microempresas vimaranenses relativamente a apoios no âmbito da crise pandémica.

 

A sessão de esclarecimentos promovida pelo Município de Guimarães, através da Divisão de Desenvolvimento Económico, contou com a participação de cerca de uma centena de startups e microempresas, que tiveram a oportunidade de esclarecer dúvidas e colocar questões relativamente às medidas de apoio.

Domingos Bragança, Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, afirmou que há áreas que “têm de ser aceleradas no mundo empresarial” e deu exemplos: área da digitalização, da robótica, da internet das coisas e a implementação de base de dados. “Esta é a quarta revolução que estávamos a assistir e agora temos de acelerar”, sublinhou o Presidente da Câmara.

Ricardo Costa, Vereador da Divisão de Desenvolvimento Económico sublinhou o “papel da política de proximidade” na luta para “vencer os desafios de futuro” em conjunto com o tecido económico-empresarial.“Vivemos momentos difíceis e com a união de esforços podemos ultrapassar esta crise. O Município de Guimarães está ao lado dos empresários e será sempre proactivo e dinâmico nas respostas que importam criar para apoiar o desenvolvimento das empresas”, apontando o projeto do “Espaço Empresa” no apoio a qualquer tipo de candidaturas ou linhas de apoio.

Representado o IPAMEI, Jorge Oliveira destacou que “independentemente das medidas criadas no âmbito da COVID-19, continuam em vigor os sistemas de incentivos do Portugal 2020”.Numa primeira fase existe o apoio para micro-empresas, a fim de melhorar os métodos no contexto desta pandemia e para cumprir as normas estabelecidas. “Os beneficiários serão empresas com menos de 10 trabalhadores e até dois milhões de vendas em todos os setores de atividade. O incentivo será de 80% das despesas elegíveis até limite de 5 mil euros, sendo que os avisos de publicação de candidaturas serão publicados a curto prazo”, salientou.

A sessão contou ainda com a presença de Helena Chaves do IEFP, que mencionou os apoios à formação para trabalhadores de empresas que recorreram ao lay-off e para as que tiveram quebras superiores a 40% na faturação.

Em representação da AICEP, Bruno Lopes mencionou os apoios existentes no âmbito do e-commerce, internacionalização para startups e reconversão do processo produtivo, anunciando para breve a plataforma “Portugal exporta”, que visa a criação de planos de ação à medida das empresas no apoio à exportação.

A próxima sessão de esclarecimentos está marcada para a próxima quinta-feira, dia 14, às 15H.