Primeiros meses de 2019 viram nascer mais empresas em Guimarães

Entre janeiro e maio de 2019 nasceram 292 empresas em Guimarães, o que representa um aumento de 6,6% face ao período homólogo de 2018, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE). Nos primeiros cinco meses do ano, este número representa mais 18 novas empresas constituídas do que em 2018.

No mesmo período, diz o INE, registou-se uma diminuição do número de encerramentos de empresas (- 151,4%), passando dos 274 registados em 2018 para 109 deste ano.

Durante os primeiros cinco meses de 2019, criaram- se em Guimarães mais de 13 novas empresas por semana, segundo o INE. Mais uma empresa registada relativamente ao período homólogo de 2018.

No mês de maio foram criadas 42 novas empresas contra 15 dissolvidas, resultando daí um saldo positivo de mais de 27 novas empresas.

Os indicadores estatísticos revelam que o comércio (71) e a indústria transformadora (44) estão a animar a economia concelhia no corrente ano.

Os investimentos em atividades ligadas ao comércio (grosso e a retalho) e a indústria transformadora são responsáveis pela constituição de 115 entidades, ou seja, 39,4% das pessoas coletivas criadas entre o início de janeiro e o final do mês de maio.

Para além do comércio e da indústria transformadora que lideram o ranking da criação de empresas, segundo o Instituto Nacional de Estatística, disponível online, na área referente ao concelho de Guimarães, durante os três primeiros meses do ano, as outras atividades económicas que registam mais dinamismo estão relacionadas com a construção (30), o alojamento, restauração e similares (29), bem como a consultoria (26) e a saúde humana (25).

De resto, Guimarães segue a tendência do Distrito. Entre janeiro e maio de 2019, os números divulgados pelo Informa dão conta de 1.776 novas empresas registadas, um aumento de 16,6% face ao período homólogo.