Rosacel, empresa do Guimarães Marca, apostou no valor acrescentado e reforçou a sua posição no mercado internacional

Depois de anos a trabalhar com os produtos básicos, especialmente para o mercado espanhol, a Rosacel alargou as suas instalações, apostou numa produção de maior qualidade e hoje vende para toda a Europa, Japão, Estados Unidos e Rússia.

Helena Machado, representante comercial da empresa especializada em têxteis de cama e mesa, explicou “Subimos na cadeia de valor e focamo-nos em novas fibras. Dantes produzíamos mais 100% poliéster, hoje trabalhamos com o 100% algodão e investimos em fibras naturais como a caxemira, o bambu, o cânhamo ou a urtiga”.

Uma das fibras que alavancaram as vendas internacionais é o Repreve, um poliéster produzido a partir de garrafas de plástico recicladas e que permite aos consumidores conhecerem a história do produto que compram. “Os clientes podem aceder à internet e ver quantas garrafas foram utilizadas na produção de uma colcha, por exemplo. Quando explicamos isto aos compradores, a reação é muito boa”, acrescenta a representante da empresa.

Com um catálogo mais variado, a empresa de Guimarães viu-se obrigada a alargar a sua produção. Tem prevista a construção de uma nova fábrica em Pevidém com uma área coberta de 3 870 metros quadrados, mas ainda sem data oficial para inauguração.

Entretanto duplicou o número de teares, de 6 para 12, e alargou a sua atividade, de forma temporária, a um novo pavilhão.

Os primeiros resultados deste impulso fazem-se já sentir. Exemplo disso foi a última edição da Guimarães Home Fashion Week, onde a empresa registou o interesse de compradores russos e sobretudo de vários japoneses, que fizerem questão de visitar a fábrica depois da feira. A Rosacel exporta já para países como a Inglaterra, Chipre, Suíça e Estados Unidos.